Desenvolvido por Rudolf Steiner em 1919, o ensino Waldorf baseia-se em uma abordagem que trata das necessidades e do desenvolvimento da criança em crescimento e do adolescente na fase de amadurecimento. Os professores Waldorf empenham-se em transformar o ensino em uma arte que eduque a criança como um todo – o fazer, o sentir e o pensar.

 

As escolas Waldorf não são sectárias e não se denominam religiosas. Elas educam todas as crianças, não importando seus contextos culturais ou religiosos. O método pedagógico é amplo e, como parte de sua tarefa, procura trazer o reconhecimento e a compreensão de todas as culturas e religiões do mundo. As escolas Waldorf não fazem parte de nenhuma igreja. Elas não estão ligadas a nenhuma doutrina religiosa em particular, mas baseia-se na crença de que há uma dimensão espiritual para o ser humano e para tudo na vida. As famílias Waldorf são oriundas de uma ampla gama de tradições e interesses religiosos.

 


O ensino Waldorf aborda todos os aspectos legais da educação escolar de uma forma única e ampla. O currículo é planejado para atender as diversas etapas do desenvolvimento da criança. Os professores Waldorf se dedicam a criar um entusiasmo interior genuíno pela aprendizagem que é essencial para o sucesso educacional. As crianças do maternal e jardim de infância aprendem principalmente através da imitação e imaginação. O objetivo do jardim é desenvolver na criança pequena um senso de admiração e reverência por todas as coisas da natureza e nas relações humanas. Isto cria uma ansiedade pelos assuntos acadêmicos que virão a seguir nos cursos de grau.
As atividades do jardim de infância incluem:
ontar histórias, marionetes, brincar criativo;
canto, euritmia (movimento);
jogos e brincadeiras de dedos;
pintura, desenho e modelagem em cera de abelha;
assar e cozinhar, passeios na natureza;
língua estrangeira nas rodas rítmicas e nas celebrações das festas e estações do ano.
As crianças do ensino fundamental aprendem através da orientação de um professor de classe que permanece idealmente com a mesma turma por oito anos.
O currículo inclui:
Inglês baseado em literatura, mitos e lendas universais;
História cronológica, incluindo as grandes civilizações do mundo e geografia;
Ciência que pesquisa geografia, astronomia, meteorologia, ciências físicas e biológicas;
Matemática que desenvolve competência em aritmética, álgebra e geometria;
Línguas estrangeiras; educação física; jardinagem;
Artes, incluindo música, pintura, escultura, teatro, euritmia, desenho;
Trabalhos manuais como tricô, costura, crochê, tecelagem, trabalhos em madeira.
O ensino médio Waldorf dedica-se a ajudar os estudantes a desenvolver todo o seu potencial como bolsistas, artistas, atletas e membros da comunidade. O curso de estudos inclui:
um currículo de humanidades que integra história, geografia, literatura e conhecimento de culturas universais;
um currículo de ciências que inclui física, biologia, química, geologia e um programa de matemática de quatro anos que prepara para a faculdade;
um programa de artes e ofícios que inclui caligrafia, desenho, pintura, escultura, cerâmica, tecelagem, impressão manual, encadernação;
um programa de artes dramáticas e musicais que oferece orquestra, coro, euritmia e drama;
um programa de línguas estrangeiras;
um programa de educação física.

 


Somos certamente influenciados por aquilo que o mundo nos traz, mas o fato é que o mundo é configurado pelas pessoas e não as pessoas pelo mundo. Porém, essa configuração do mundo só é possível de uma forma saudável se as pessoas estiverem de posse de sua natureza total como seres humanos.
O ensino em nossa sociedade materialista foca no aspecto intelectual do ser humano e não valoriza as outras partes que são essenciais para o nosso bom desenvolvimento, que são: a nossa vida de sentimentos (emoções, estética e sensitividade social), nossa força de vontade (a habilidade para fazer as coisas) e nossa natureza moral (ser transparente sobre o certo e o errado). Somos incompletos sem a visão do desenvolvimento integral do Ser Humano. Para isso, numa escola Waldorf os assuntos práticos e artísticos desempenham um papel tão importante quanto à gama total de assuntos acadêmicos tradicionais que a escola oferece. O prático e o artístico são essenciais para se conseguir o preparo para a vida no mundo “real”.
O Ensino Waldorf reconhece e respeita a extensão total das potencialidades humanas. Ele trata da criança como um todo se empenhando em despertar e enaltecer todas as capacidades latentes. As crianças aprendem a ler, escrever e fazer contas; estudam história, geografia e ciências. Além disso, todas as crianças aprendem a cantar, tocar um instrumento musical, desenhar, pintar, modelar argila, esculpir e trabalhar com madeira, falar claramente e atuar em uma peça, pensar independentemente, e trabalhar de forma harmoniosa e respeitosa com outras pessoas. O desenvolvimento destas diversas capacidades está inter-relacionado. Por exemplo, tanto os meninos quanto às meninas aprendem a tricotar no primeiro ano. A aquisição desta habilidade básica e prazerosa os ajuda a desenvolver uma destreza manual que, após a puberdade, será transformada em uma habilidade para pensar claramente e “tricotar” seus pensamentos em um todo coerente.
O Ensino Waldorf tem como ideal uma pessoa que seja informada sobre o mundo e sobre a história e cultura humana, que tenha muitas habilidades práticas e artísticas, que sinta uma reverência profunda e uma comunhão com o mundo natural, e que possa agir com iniciativa e em liberdade perante as pressões econômicas e políticas. Há muitos alunos de todas as idades, formados em escolas Waldorf , que personificam este ideal e que são talvez a melhor prova da eficácia do ensino. A preparação para a vida inclui o desenvolvimento de pessoas com v ários atributos e que se completam atrav és das suas relações com o mundo todo.

 


Cada criança é um individuo diferente e os pais de vários filhos sentem isso com certeza. Devemos respeitar o caminho de cada uma, valorizando as capacidades individuais. Podemos ver que crianças saudáveis que aprendem a ler mais tarde não são prejudicadas por isso, ao contrário, elas são capazes de rapidamente alcançar as crianças que aprenderam a ler mais cedo. Respeitando a velocidade de cada uma, elas não irão desenvolver o “cansaço pela leitura e aprendizado”, que muitas crianças que aprenderam a ler muito cedo vivenciam mais tarde. Algumas crianças, por si próprias, irão querer aprender a ler cedo e esse interesse pode ser atendido desde que venha, de fato, da criança e não estimulado pelos adultos.
Alguns pais ficam ansiosos quando percebem que seus filhos estão lentos na aprendizagem. Toda criança tem seu momento certo para “decolar”. Muitas vezes a ansiedade dos pais é assimilada pela criança. É importante que os pais saibam lidar com suas próprias apreensões e com as de seus filhos.
O crescimento e o desenvolvimento humano não ocorrem de uma forma linear e nem podem ser medidos. O que vive, cresce e existe na vida humana só pode ser entendido com aquela mesma faculdade humana que pode entender as leis etamórficas invisíveis da natureza viva.

 


As crianças que são transferidas para uma escola Waldorf estarão em um nível desejável com relação à leitura, matemática e habilidades acadêmicas básicas. Porém, de forma geral, elas terão muito a aprender em termos de capacidade de coordenação corporal, postura, atividades artísticas e sociais, caligrafia cursiva e capacidade de ouvir. Ouvir bem é particularmente importante uma vez que a maioria do conteúdo curricular é apresentada oralmente na classe pelo professor e é uma qualidade cada vez mais difícil de se encontrar nas pessoas hoje em dia. A relação humana entre a criança e o professor é a base para uma aprendizagem saudável, para a aquisição de entendimento e conhecimento e não só informação. As crianças que estão acostumadas a aprender em computadores e outros meios eletrônicos terão que se adaptar e principalmente desenvolver a qualidade de ouvir e perceber o próximo.
Aquelas crianças que entram em uma escola Waldorf normalmente trazem muitas informações sobre o mundo. Essa contribuição deve ser reconhecida e recebida com interesse pela classe. Porém, muitas vezes essas crianças têm que desaprender alguns hábitos sociais como, por exemplo, a tendência de vivenciar a aprendizagem como uma atividade competitiva. Elas têm que aprender a abordar as artes de uma forma mais objetiva e não só como um meio de expressão pessoal. Em contraste, ao estudar a natureza, a história e o mundo, elas precisam relacionar o que aprendem à sua própria vida e existência. Quando as crianças se envolvem com o que aprendem sobre o mundo, ele se torna verdadeiramente significativo para elas.
As crianças que são transferidas de uma escola Waldorf para uma outra escola durante as primeiras sériesprovavelmente terão que melhorar a habilidade na leitura e abordar as lições de ciências de modo diferente. A ciência em uma escola Waldorf enfatiza a observação de fenômenos naturais ao invés da formulação de conceitos e leis abstratas. Por outro lado, os transferidos de uma escola Waldorf estão normalmente bem preparados quanto a estudos sociais, atividades práticas e artísticas, e o raciocínio matemático.
Os jovens que saem de uma escola Waldorf durante o Ensino Médio, provavelmente levarão para a nova escola uma força individual distinta, assim como uma confiança pessoal, e uma apreciação pela aprendizagem e pelas relações humanas.

 


Um objetivo central do Ensino Waldorf é estimular o desenvolvimento saudável da imaginação e criatividade em seus alunos. A preocupação dos professores Waldorf é a de que a mídia eletrônica impeça o desenvolvimento da imaginação da criança. Eles estão preocupados com os efeitos físicos da mídia na criança em desenvolvimento e com o conteúdo de grande parte da programação.
Há cada vez mais pesquisas para fundamentar estas preocupações. Temos “ Endangered Minds: Why Our Children Don’t Think” (Mentes em Perigo: Por que Nossas Crianças Não Pensam) e “Failure To Connect: How Computers Affect Our Children’s Minds For Better and Worse” ( Fracasso em Conectar: Como os Computadores Afetam a Mente de Nossas Crianças - Para o Melhor e o Pior) de Jane Healy; “Four Arguments for the Elimination of Television” (Quatro Argumentos para Eliminação da Televisão) de Jerry Mander; “The Plug-In Drug” (TV, A Droga Ligada à Corrente) de Marie Winn; e “Evolution’s End: Claiming The Potential of Our Intelligence ” (O Fim da Evolução: Reivindicando a Nossa Inteligência em Todo o Seu Potencial) de Joseph Chilton Pearce; “Computadores e TV” de Valdemar Setzer.

 


Os professores Waldorf acham que a idade adequada para o uso de computador pelos estudantes na sala de aula é durante o ensino médio. Nós achamos que é mais importante para os estudantes terem a oportunidade de interagir uns com os outros e com os professores na exploração do mundo das idéias, participando no processo criativo e desenvolvendo conhecimento, capacidades, habilidades e qualidades interiores. Os estudantes Waldorf têm amor pela aprendizagem, uma curiosidade contínua e interesse pela vida. Como estudantes mais velhos, eles rapidamente dominam a tecnologia da computação, e os alunos formados conseguem seguir carreiras bem sucedidas na indústria de computadores. Para mais leituras, consulte “Fool’s Gold” (Ouro de Tolo) no site da Aliança pela Infância em inglês www.allianceforchildhood.org e outros artigos no site www.aliancapelainfancia.org.br em português.

 


Alunos Waldorf têm sido aceitos e diplomados por uma grande diversidade de faculdades e universidades boas no Brasil, vejam pesquisa sobre ex-alunos Waldorf no site da FEWB www.fewb.org.br . Os alunos formados em escolas Waldorf refletem uma ampla variedade de profissões e ocupações incluindo medicina, advocacia, ciências, engenharia, tecnologia da computação, artes, ciências sociais, política e magistério em todos os níveis. As escolas Waldorf de ensino médio podem fornecer dados específicos sobre afiliações em universidades, profissões e realizações de seus graduados.

 


Euritmia é a arte do movimento que tenta tornar visível a música e a fala. Ela ajuda a desenvolver a concentração, a autodisciplina e o sentido da beleza. As aulas de Euritmia são um treinamento para se mover de forma artística individualmente e em grupo, estimula a sensitividade em relação ao outro e o domínio individual. As aulas de Euritmia seguem os temas do currículo, explorando rima, métrica, histórias e formas geométricas.

 


Esta pergunta sempre surge devido à experiência dos pais com o outros ensinos. Na maioria das escolas o professor trabalha com uma turma durante um, talvez dois anos. É difícil para o professor e para o aluno desenvolver uma relação humana profunda (que é a base para uma aprendizagem saudável), se a mudança for freqüente.
Se o professor fica com a mesma turma durante vários anos, o professor e as crianças passam a conhecer e entender um ao outro de uma forma profunda. As crianças estarão mais capacitadas a aprender, sentindo-se seguras em um relacionamento duradouro.
A interação entre professor e pais pode se tornar também mais profunda e significativa com o tempo e eles podem e devem trabalhar juntos para ajudar a criança.
Problemas entre professores e alunos, e entre professores e pais, realmente surgem. Quando isto acontece, o colégio de professores estuda a situação, envolve o professor e os pais, se for apropriado junto com o aluno, e tentam resolver o conflito. Se as diferenças forem irreconciliáveis, os pais e o grupo de professores devem chegar a uma solução. Na verdade, medidas mais drásticas, como a retirada do aluno da escola, são raramente necessárias.
A classe Waldorf é parecida com uma família. Se em uma família os adultos têm problemas com suas crianças, devem observar a situação e ver o que podem fazer para melhorar a relação. Em outras palavras, os adultos devem assumir a responsabilidade. Esta mesma abordagem é esperada do professor Waldorf em uma situação difícil. Em quase todos os asos, ele deve se perguntar: “Como posso mudar de forma que o relacionamento se torne mais positivo?” A experiência nos mostra que com a boa vontade e o apoio ativo dos pais, o professor interessado pode fazer as mudanças necessárias e ter novamente um relacionamento saudável e produtivo.
Participar das transformações e do crescimento dos adultos faz parte do “currículo Waldorf” e é o que as crianças e jovens asseiam ver em suas vidas, para poderem acreditar num mundo melhor.

 


O professor de classe não é o único professor com quem as crianças se relacionam. Todo dia, professores de matérias específicas dão aulas para as crianças de euritmia, trabalhos manuais, língua estrangeira, música, e assim por diante. Porém, o professor de classe é responsável pela “aula principal” de duas horas pela manhã e também, normalmente, por uma ou duas aulas na parte da tarde. Na aula principal, ele traz todos os principais assuntos acadêmicos para as crianças, incluindo arte da linguagem, ciências, história e matemática, bem como pintura, música, modelagem em argila, e assim por diante. O professor lida, de fato, com uma ampla variedade de matérias e, portanto, a pergunta é válida.
Uma concepção errônea e comum em nosso tempo é a de que o ensino é meramente a transferência de informações. Do ponto de vista Waldorf, o verdadeiro ensino envolve também o despertar de capacidades – a habilidade de pensar de forma clara e crítica, de vivenciar e entender os fenômenos universais de uma forma empática, de distinguir o que é bonito, bom e verdadeiro. O professor de classe trilha um caminho de descobertas com as crianças e as conduz a um entendimento do mundo de significados, e não de um mundo só de causas e efeitos.
Os professores de classe Waldorf trabalham arduamente para dominar o conteúdo das várias matérias que ensinam e também pedem ajuda quando necessitam. Mas o sucesso fundamental do professor está em sua habilidade de trabalhar com aquelas faculdades internas que estão ainda “em botão” no aluno, de modo qe essas possam crescer, desenvolver e abrir de uma forma equilibrada e saudável.
Através desta abordagem de ensino, as crianças serão verdadeiramente preparadas para o mundo real. Elas estarão munidas com as ferramentas para configurar produtivamente o mundo com seu espírito humano livre.

 


Os custos com a mensalidade e matrícula variam de escola para escola e são comparáveis a outras escolas particulares da mesma região geográfica que não são subsidiadas através de fundações ou igrejas. Muitas escolas Waldorf são independentes e mantidas pelas contribuições mensais das famílias. Cada escola desenvolve as suas políticas de assistência financeira e determina o valor da bolsa de estudos que pode oferecer. Para informações atualizadas sobre os custos, você pode contatar diretamente as escolas individualmente através de nossa lista de Escolas Afiliadas no site da FEWB www.fewb.org.br

 


Se estiver procurando um jardim de infância, pode haver um jardim Waldorf independente em sua área. Contate a Federação das Escolas Waldorf através do tel.11-55240473 ou pelo e-mail O endereço de e-mail address está sendo protegido de spambots. Você precisa ativar o JavaScript enabled para vê-lo. .

 


Existem as escolas Travessia, Parcifal e a Casa do Sol na cidade de São Paulo. Eles estão especialmente equipados para crianças com necessidades especiais. Rudolf Steiner trabalhou com pessoas com “necessidade especiais” durante vários anos, e há escolas e comunidades de adultos baseadas na Antroposofia. Favor visitar o site da Associação de Pedagogia Curativa no Brasil para maiores informações, www.sab.org.br

 


Para uma lista das escolas Waldorf em todo o mundo, clique em “ Bund der Freien Waldorfschulen” (Alemanha). Você poderá estão pesquisar por país. Outras listas e recursos podem ser encontrados em nossa seção de Links no site da Sociedade Antroposofica no Brasil www.sab.org.br.

 


Os grupos de iniciativa seguem padrões diferentes em sua evolução, mas em anos recentes desenvolveu-se uma certa tendência que parece ser útil e muito boa para os grupos interessados. As iniciativas geralmente começam com grupos de estudos para adultos e, após alguns anos, estabelecem grupos de jardim de infância. Então, depois de vários anos, podem se sentir prontos para começar o primeiro ano escolar e por cinco anos (se a escola quer crescer ate a primeira etapa do ensino médio), ou por oito anos (se a escola quer crescer ate o final do Primeiro Grau) ela vai a cada ano implantando a próxima classe. Depois de ter fortalecido o jardim e o ensino fundamental, podem crescer até o Ensino Médio. Como você pode ver, leva tempo para começar uma escola, e pode se levar facilmente 10 anos ou mais desde o início do primeiro grupo de estudos até a inauguração da primeira série. O cronograma varia de uma comunidade para outra, mas todas descobriram que é fundamental se ter um forte embasamento em Ensino Waldorf e Antroposofia, se desejam que sua escola se desenvolva e prospere, e esse embasamento não é construído de um dia para outro. Uma escola Waldorf não é somente uma alternativa entre outras escolas. O seu currículo e a sua filosofia provêm da visão do mundo e das percepções da natureza da criança que Rudolf Steiner nos propicia na Antroposofia. Se não houver uma comunidade ativa em torno da escola que esteja totalmente familiarizada e comprometida com a filosofia e a pedagogia, então é provável que a iniciativa não prospere.
As comunidades descobriram também que embora pais entusiasmados sejam essenciais para ajudar a fundar uma escola, esse mesmo entusiasmo pode levar alguém a fundar uma escola rápido demais. Da mesma forma que as escolas Waldorf são organizações sem fins lucrativos, não são criadas para o benefício financeiro de qualquer indivíduo, a sua fundação também deve ter um elemento de altruísmo ao invés de serem criadas para beneficiar certas crianças e suas famílias. Sabemos que isto pode ser uma coisa difícil de se ouvir, mas o ritmo de desenvolvimento é provavelmente o único fator mais importante para determinar a futura solidez ou fraqueza de uma escola. Uma fundação fraca, construída às pressas, permanece com a escola durante a sua existência, e pode se ver os efeitos dela muitas vezes. Nós todos queremos escolas que floresçam e prosperem, e é bem possível fundar escolas assim com trabalho árduo e sem pressa.
Muitas comunidades foram criativas ao satisfazer as necessidades de suas próprias crianças antes da fundação de uma escola. Realizavam as festas anuais regularmente para as famílias, organizavam teatrinhos de contos de fadas, aulas de pintura, historias e outras atividades. Algumas desenvolveram atividades extracurriculares para crianças em idade escolar e que não podiam freqüentar escolas Waldorf, como um programa complementar às aulas da escola. Estes programas geralmente enfocavam o currículo de histórias Waldorf, as artes e as celebrações das festas anuais. Os monitores desse programa não precisam ser professores Waldorf totalmente treinados e muitas vezes são pais que estão fazendo o Seminário Waldorf.
Gostaríamos de examinar cada passo para o inicio de uma escola Waldorf, nos seguintes itens abaixo.

 


O grupo de estudos Waldorf é normalmente fundado para se encontrar toda semana ou a cada duas semanas. Livros sobre Pedagogia Waldorf e Antroposofia são estudados e muitas vezes palestrantes são convidados para aprofundar o tema escolhido pelo grupo. Podemos encontrar livros para estudos na Editora Antroposofica, no site www.antroposofica.com.br . As comunidades seriamente interessadas em começar uma escola Waldorf devem estabelecer grupos de estudos.
O trabalho antroposófico em uma comunidade é muito importante porque a Pedagogia Waldorf nasce do solo da Antroposofia. É neste solo que as raízes da escola irão crescer e é dele que ela irá tirar o sustento. As comunidades que não têm grupos de estudos ativos em Antroposofia observam que com o passar do tempo parece que suas escolas estão sem sustento em um nível mais profundo. Algumas se queixam que se sentem “descobertas”, expostas. Não pode haver nada compulsório em relação ao estudo da Antroposofia, pois ela deve viver no reino da liberdade interior. Contudo, as escolas fariam melhor se a Antroposofia estivesse sendo cultivada na comunidade ao seu redor de uma forma saudável e livre. A própria escola precisa ter uma relação saudável e fértil com a Antroposofia, se espera crescer e prosperar como uma escola Waldorf. Para maiores informações sobre o estudo da Antroposofia ou para saber sobre os grupos de estudos antroposóficos em sua área, pode contatar a Sociedade Antroposófica no Brasil www.sab.org.br .
Ao estabelecer grupos de estudos, seria bom encontrar um mentor/ajudante. Mesmo que essa pessoa só possa vir uma vez por ano, ela poderá acrescentar bastante profundidade ao estudo, fazendo sugestões sobre materiais de estudo, respondendo perguntas desconcertantes sobre o conteúdo e assim por diante. A Sociedade Antroposofica pode sugerir mentores, assim como a Federação das Escolas Waldorf no Brasil. Um grupo de professores experientes no Brasil foi formado para ajudar a cultivar a vida educacional e espiritual das escolas Waldorf.

 


Este é um passo oficial que exige constituição jurídica, autorização completa através da Secretaria de Educação local, aluguel de espaço e assim por diante. Igualmente importante com relação a todos os requisitos legais é que deve ser iniciado por um professor de jardim de infância Waldorf formado em Pedagogia Waldorf e orientado/assistido por um que tenha tido idealmente uma experiência de pelo menos três anos como professor de jardim Waldorf. Há uma falta crítica desses professores em todo o Brasil e em todo o mundo.
Seria muito bom que mais professores formados e com experiência estejam interessados em serem treinados para se tornarem assistentes pedagógicos em sua região.
Obter um apoio financeiro pode parecer uma grande tarefa, mas é importante entender no início que estabelecer qualquer escola particular é um empreendimento caro. As famílias que estão envolvidas na nova iniciativa devem fazer um levantamento financeiro de todas as necessidades para transformar o desejo de uma escola Waldorf em uma realidade viável.
No estabelecimento efetivo de um jardim de infância, há assistentes experientes que podem ser chamados para ajudar, através do Projeto de Assistência aos jardins Waldorf, organizado pela diretoria dos jardins na FEWB. Seria uma boa idéia trabalhar junto com a escola Waldorf mais próxima e verificar se há professores experientes lá que possam ajudá-lo em suas etapas de desenvolvimento. Neste momento, será necessário que a iniciativa se afilie à Federação das Escolas Waldorf no Brasil, um passo que irá colocar a iniciativa em um contato mais amplo com todo o movimento Waldorf.

 


Esse é um passo muito grande, pois assim que a primeira série for iniciada a escola deve ser capaz de continuar acrescentando uma nova série pelos próximos cinco ou oito anos. Isso significa que é necessário encontrar um novo professor de classe a cada ano, mais professores de outras matérias, mais espaço para classes e assim por diante. Assim podemos ver porque é necessária uma fundação sólida. Sem ela, pode-se construir a escola durante alguns anos sem notar que a estrutura está um tanto oscilante. Contudo, quanto maior se torna a estrutura, mais aparente se torna a oscilação, e as rachaduras começam a se desenvolver. Em anos recentes algumas escolas tiveram que se reestruturar e se desfizeram das ultimas classes do ensino fundamental, uma situação dolorosa para toda a comunidade Waldorf.
Por outro lado, claro, deve-se ter também professores Waldorf treinados. Eles são em pouco número conforme demonstra o fato de que todo ano nossos centros de treinamento não formam estudantes o suficiente para preencher as vagas nas escolas existentes, e muito menos nas novas escolas. Em nossas reuniões para discutir o problema da falta de professores, uma sugestão surgiu, de que cada comunidade envie professores para o treinamento para que, depois assumam a tarefa de trabalhar na escola.
Como vocês sabem, há um interesse sempre crescente por parte do setor público no que o Ensino Waldorf tem para oferecer. Se tivermos escolas fracas com professores não treinados para representar o nosso ensino, então estaremos colocando em perigo o nosso bom nome bem como a oportunidade de trazer uma nova vida para todo o ensino. Se todas as nossas escolas, as novas e as já estabelecidas, lutarem pela excelência inerente em nossa filosofia e métodos, então poderemos enfrentar com confiança qualquer avaliação de nosso trabalho. Geralmente, deve-se ter duas ou três classes de jardim de infância, com um total de cerca de 50 crianças, antes de se considerar a abertura de uma primeira série. Mesmo assim, você pode não conseguir as 20 ou 30 crianças necessárias para se fazer uma primeira série viável em termos financeiros e sociais. Começar com menos de 20 crianças significa que você precisa bancar financeiramente a escola e o salário do professor em grande parte. Caso contrário você pagará um salário baixo demais, o professor pode não ser capaz de manter o trabalho sem grande pressão, e você terá que enfrentar muita rotatividade. Será mais sábio aguardar até que suas turmas de jardim sejam grandes o suficiente. Algumas escolas começam com turmas muito pequenas (oito ou 10 crianças), mas geralmente lutam durante anos para encontrar o dinheiro suficiente para manter-se em atividade. Após algum tempo, isto se torna muito debilitante para todos os envolvidos e pode-se questionar se as crianças estão tendo o que precisam pedagogicamente. Há uma suposição geral por parte das novas iniciativas de que qualquer escola Waldorf é melhor do que nenhuma, mas nossa própria experiência mostra que isto não é necessariamente verdadeiro. Uma escola fraca, com poucas crianças, um déficit orçamentário muito grande, pressão demais sobre os professores e pais muito ativos, talvez não seja um ambiente saudável para as crianças. A escola sofre assim como sofrem as crianças.
Enquanto seu grupo está a caminho de desenvolver um jardim ou escola Waldorf, a Federação das Escolas Waldorf no Brasil irá lhe ajudar a fazer contatos com outros educadores, assistentes ou escolas Waldorf mais experientes. Peça às escolas vizinhas que coloquem os seus grupo na mala direta para que vocês fiquem sabendo de palestras, workshops, exposição e cursos. Se você estiver interessado em cursos de verão ou em workshops de fim de semana, favor contatar a FEWB.
Esperamos que possam nos manter informados sobre os seus grupos e sobre o progresso que estão tendo. Por favor, permaneçam em contato. Estamos aqui para apoiar e atender suas necessidades. Finalmente, é importante que estejam cientes do fato de que a FEWB é a "cuidadora" dos direitos da marca registrada pelo uso do nome “Waldorf e Rudolf Steiner”. Qualquer grupo de iniciativa que deseja utilizar essas nomenclaturas (incluindo “inspirado em Waldorf”) em seu nome ou nos folhetos descritivos será solicitado a entrar em contato com a FEWB. Este é o motivo pelo qual entramos em tantos detalhes nesta carta.

 


O objetivo das perguntas abaixo é ajudá-lo a enfocar as questões e as preocupações que devem ser consideradas antes de se fundar uma escola Waldorf.
1. Qual é o número de pessoas em sua comunidade que estão familiarizadas com a filosofia e a pedagogia Waldorf?
a. Quantos anos estudaram juntos?
b. Quantos estão familiarizados com os requisitos do currículo?
2. O seu grupo principal definiu as metas e os objetivos?
Redigiram formalmente uma Declaração de Missão e Objetivos num plano de curto e longo prazo ?
3. Planos para o presente
a. Estão considerando quantas classes para iniciar o jardim e depois a escola?
b. Qual será o tamanho mínimo da classe?
c. Qual política de admissão irão adotar?
4. Planos para o futuro
a. Qual é a idade das crian ças para o jardim de infância, e quantas irão receber inicialmente?
b. Quando começar a 1 a série e continuar a acrescentar uma série todo ano?
c. As necessidades das oito séries completas, incluindo os funcionários, professores de classe treinados, professores especiais (línguas estrangeiras, artes, música, educação física, etc.)?
d. Instalações físicas para uma expansão?
5. Investigaram as exigências locais/legais para:
a. Seguro de responsabilidade civil, de saúde, do prédio, etc.
b. Leis para a implantação da escola, espaço físico?
c. Exigências gerais para o ensino da primeira infância?
d. Certificação dos professores?
6. Constituíram a sociedade como uma associação ou como uma empresa limitada, de acordo com a regulamentação local; se a escola crescer para o ensino fundamental deve se constituir como uma associação:
a. Vocês têm um Conselho de Pedagógico e Conselho de Pais?
b. As responsabilidades estão claramente definidas nos Estatutos? Existe o Regimento Interno?
c. Há provisões para uma eventual saída dos profissionais contratados pela escola?
7. Vocês pesquisaram as áreas vizinhas para determinar o grupo de estudantes que é possível atrair e como realizar a divulgação? Que importância vocês deram para a sua publicidade e imagem para atrair esses segmentos? (É difícil superar uma imagem pública negativa ou limitador uma vez criado.).
8. Qual (quais) escola (s) particular (es) competiria (m) por este grupo de alunos? Quais segmentos da população você espera atrair? Há alguém em seu grupo com conhecimento ou acesso a bons conselhos sobre assuntos de publicidade?
9. Há um valor estimado necessário para começar uma nova escola, que se pode ter como informação com as escolas mais antigas, e que deveriam ter em mãos antes de começar uma escola com uma esperança razoável de sucesso. Como garantir pelos menos os primeiros anos de operação (aluguel, salários, material, suprimentos, mudanças necessárias em instalações usadas, seguro, etc.)?
10. Organizar atividades para arrecadação de fundos é uma forma de suprir as necessidades iniciais e a qualidade do Ensino Waldorf, como e o que realizar?
11. Que oportunidades existem para atrair um professor Waldorf treinado para a sua comunidade?
a. Qual é o salário oferecido?
b. Qual a disponibilidade de moradia para o salário oferecido?
c. Quais são as oportunidades sociais?
d. Qual é o tipo de instalação da escola?
12. Têm pelo menos um professor Waldorf formado e se possível experiente com o compromisso de começar a escola?
13. Farão planos para enviar candidatos promissores de sua comunidade interessados em participar do treinamento de professores para serem preparados?
14. Vocês pensaram em uma equipe de apoio? É muito importante ter alguém no escritório da escola, um administrador por pelo menos algumas horas por semana, para começar.

 


Afiliação à Federação das Escolas Waldorf no Brasil (FEWB) e uso da marca registrada “Waldorf” ou “Rudolf Steiner”. Essas são marcas registradas no Brasil e reservadas para as escolas que satisfazem os padrões de afiliação estabelecidos pela FEWB.
A Federação (FEWB) é uma associação de escolas que trabalham a partir das indicações pedagógicas de Rudolf Steiner. O Ensino Waldorf dedica-se a contribuir para a renovação espiritual, social e econômica. Deve ser entendido por qualquer escola ou instituição que busca afiliar-se a FEWB, baseada na Antroposofia, a filosofia iniciada por Rudolf Steiner.
Somente as escolas que foram aceitas como Membros da FEWB podem se fazer representar como escolas Waldorf ou usar as palavras “Waldorf” ou “Rudolf Steiner” em seus nomes ou subtítulos.
Acreditamos que os métodos Waldorf podem ser aplicados em ambientes de salas de aula bem diferentes. Porém, o Ensino Waldorf só é possível se os seus profissionais e administradores estiverem livres para trabalhar a partir do reconhecimento claro e do compromisso com o desenvolvimento da natureza espiritual do ser humano. A FEWB apóia e encoraja o trabalho de qualquer escola ou instituição cujos professores desejem trabalhar com a filosofia, as percepções e os métodos da pedagogia Waldorf sem a utilização do nome Waldorf e sem a necessidade de sua filiação. Contudo, a FEWB não pode auxiliar no projeto, qualidade, avaliação ou resultados de escolas não-membros.
As diretrizes para afiliação a FEWB encontram-se disponíveis em nosso endereço.

 


A afiliação a FEWB pretende fornecer às novas iniciativas, que têm a intenção de iniciar uma escola Waldorf, uma oportunidade maior de estabelecer uma ligação viva com o movimento das escolas Waldorf. Este é um passo significativo no desenvolvimento da FEWB em direção à sua missão de atender e fortalecer o impulso Waldorf no Brasil. Além disso, como a organização responsável pelas marcas registradas “Waldorf” e “Rudolf Steiner”, a FEWB exige que qualquer escola que deseje usar estes nomes para se promover em seus impressos, brochuras ou materiais de relações públicas, deve ser membro da FEWB no nível apropriado de afiliação, e que as escolas que desejem usar esses nomes como parte do nome da escola ou como subtítulo deve ser Membros Contribuintes ou Membros de Instituição Social (sem contribuição), ver os passos de cada nível de afiliação com a secretaria da FEWB. Quando uma iniciativa estiver pronta para se afiliar a FEWB, ela irá se registrar e pagar uma contribuição mensal. Um formulário de inscrição será distribuído.
A intenção de iniciar um jardim Waldorf (com alunos e fundos suficientes, e um professor Waldorf treinado ou um professor que deseja seguir o treinamento Waldorf) necessita de uma consulta com a representante da sua Regional ou uma outra indicada pela Federação. As Escolas de Educa ção Infantil Waldorf estão divididas em oito Regionais , com dois representantes em cada uma.
A ajuda às novas escolas estará disponível através das escolas mais experientes, dos encontros das grandes regionais, das assistentes e encontros mini-regionais, curso de aprofundamento, congressos, livros, grupos de estudo, tutorias as escolas de grau, os seminários, etc.
Uma grande parte do trabalho da equipe será ajudar as Novas Iniciativas a lançar as fundações antes de estabelecer uma escola primária. Eles irão ajudar também na localização de mentores que possam trabalhar com Novas Iniciativas. Esses mentores podem ser indivíduos ou escolas vizinhas.
Os Membros de Novas Iniciativas receberão os seguintes serviços:
Conexão com as outras escolas e suas regionais.
Inclusão na lista como Membro da FEWB e no site.
Convite para os congressos, encontros e cursos pertinentes a FEWB e possibilidade de desconto, quando necessário.
Afiliação de Associado na FEWB com recebimento de 3/ 4 periódicas na correspondência enviada para as escolas.
Catálogo de publicações da FEWB, com preço especial para professores e escola Waldorf.
Somente no primeiro ano, um pacote contendo as publicações da FEWB.

 


No Brasil há 57 escolas Waldorf, e os números no mundo todo dobraram na última década para mais de 1000 escolas. Junto com este tipo de crescimento, há uma demanda constante por novos professores. A saúde de uma escola depende em grande parte de encontrar professores fortes que sejam treinados na metodologia Waldorf.
O treinamento para professores Waldorf encontra-se à disposição no site da FEWB. Muitos institutos também oferecem programas de fim de semana ou opções de meio-período, e alguns institutos fornecem graus universitários e, caso desejado, uma certificação estadual. Favor contatar os institutos diretamente para informações sobre programas específicos.
E exigido por todo governo e escolas que os professores tenham pelo menos o certificado de graduação em pedagogia ou na matéria que ira lecionar.
A assistência financeira para o treinamento de professores encontra-se à disposição através do Fundo para Treinamento de Professores Waldorf da FEWB e outros programas oferecidos pelos Seminários.

 


Em primeiro lugar você precisa fazer o curso de treinamento de professores Waldorf. Muitas escolas Waldorf colocam as vagas de empregos na Internet ou então ligue para a FEWB para maiores informações sobre as necessidades das escolas.Contate também diretamente as escolas em que você está mais interessado para verificar as vagas que não foram anunciadas. As escolas podem ser encontradas em nossa lista de escolas afiliadas no site da FEWB www.fewb.org.br .
Texto Elaborado por Maria Chantal Amarante – da FEDERAÇÃO DAS ESCOLAS WALDOR NO BRASIL - FEWB